home / EJACULAÇÃO PREMATURA /

Mitos e Verdades

 

Mitos e verdades sobre Ejaculação Prematura

 

 

Todas as disfunções sexuais, em geral, são alvo de diversos preconceitos, mitos e falsas verdades que, não raras vezes, contribuem para atrasar o processo de procura de um médico por parte de quem delas sofre. Frequentemente, as falsas crenças estão interligadas com a verdade. Esta é apenas uma seleção de mitos e "verdades" relacionados com as causas da Ejaculação Prematura e as soluções possíveis.

 

Usar dois preservativos, ou usar preservativos "de atraso", pode ajudar a prolongar o tempo até à ejaculação

MITO

Embora este método possa funcionar ocasionalmente, não constitui uma verdadeira solução para o problema. Mais ainda, usar um preservativo revestido com substâncias anestésicas imediatamente antes da penetração não retarda a ejaculação e pode provocar alergias.

O stress pode causar Ejaculação Prematura

VERDADE

O stress diminui o prazer, aumenta os estímulos e a sensibilidade e pode causar impotência ocasional e Ejaculação Prematura. De facto, foi observada uma elevada prevalência de sintomas de ansiedade em homens que procuram clínicas de sexologia. Os fatores psicológicos podem contribuir para a Ejaculação Prematura, embora, em muitos casos, estes fatores isolados não representem a única causa, ou a causa principal, do problema.

 

Masturbar-se rapidamente pode causar Ejaculação Prematura e/ou fazer o homem aguentar mais tempo

MITO

Embora parcialmente eficaz no curto prazo, a masturbação antes das relações sexuais pode exacerbar a Ejaculação Prematura, em vez de atenuá-la, uma vez que os homens deliberadamente ignoram ou enfraquecem as sensações sexuais que precisam de ser controladas, de forma a melhorar a disfunção. Adicionalmente, uma má prática de masturbação – isto é, uma corrida sem parar até ao clímax – pode impedir, mais ainda, o desenvolvimento de mecanismos de controlo da ejaculação.

A masturbação antes das relações sexuais representa uma autotécnica comportamental e é usada por muitos homens jovens. As razões que, em teoria, sustentam este método estão relacionadas com o facto de, após a masturbação, o homem poder aumentar parcialmente o controlo ejaculatório, aprendendo a reconhecer os sinais de aumento da sua excitação sexual e como manter o nível da sua excitação sexual abaixo da intensidade que desencadeia o reflexo ejaculatório. Além disso, o pénis fica dessensibilizado, dando origem a um maior atraso na ejaculação, após o período de recuperação. 

No entanto, a eficácia de técnicas de autoajuda comportamental não é sustentada por investigações controladas. E além disso, a experiência clínica sugere que qualquer melhoria conseguida com estas técnicas geralmente não se mantém no longo prazo.

 

referências bibliográficas
Corona G, Ricca V, Boddi V et al. J Sex Med 2010;7(1 Pt 1):182-191.
Rowland DL, Strassberg DS, de Gouveia Brazao CA, Slob AK.J Psychosom Res 2000;48(1):69-77.
Corty EW.J Sex Med 2008;5(11):2694-2702.
Revicki V et al. Health and Quality of Life Outcomes 2008;6:33.
EAU Guidelines 2012

O álcool e algumas drogas são boas formas de retardar a ejaculação

MITO

Algumas drogas ilegais, como as anfetaminas e a cocaína, podem causar Ejaculação Prematura. Embora o álcool possa, por vezes, retardar o orgasmo, não se apresenta como uma solução eficaz no tratamento da Ejaculação Prematura e pode, inclusive, ter um efeito nefasto no controlo do homem.

Outros fármacos, como os opiáceos, podem causar inibição da ejaculação. Tenha em conta os efeitos secundários graves e não desejados associados ao consumo de tais drogas. Estas poderão desencadear sérios problemas psicológicos, capazes de agravar a Ejaculação Prematura. Não há nada mais perigoso do que tentar "curar" a Ejaculação Prematura com drogas e/ou álcool.

Um estudo recente revela que a Ejaculação Prematura está diretamente associada ao uso de tabaco e drogas ilegais. Outro estudo italiano, que incluiu 228 jovens do sexo masculino, demonstra que a prevalência de Ejaculação Prematura observada antes do uso de drogas era de 37,5%, o que sugere que as perturbações sexuais ou a convicção de que se sofre de um problema sexual podem ser, entre os homens, um possível fator de risco para o abuso e dependência de drogas.

 

referências bibliográficas
1 American Urological Association. The Management of Premature Ejaculation: A Patient’s Guide.
2 Mialon A, Berchtold A, Michaud PA, Gmel G, Suris JC. Sexual dysfunctions among young men: prevalence and associated factors. J Adolesc Health. 2012 Jul;51(1):25-31.
3 La Pera G, Franco Giannotti C, Taggi F, Macchia T. J Sex Marital Ther 2003;29(2):149-156.

 

 

A Ejaculação Prematura afeta a fertilidade do casal

MITO

Num casal sem problemas de fertilidade, um homem com Ejaculação Prematura é capaz de fertilizar, desde que a ejaculação, mesmo que precoce, ocorra durante a penetração e não antes de o pénis estar inserido na vagina (ejaculatio ante portas). Em último caso, é sempre aconselhável consultar um médico, uma vez que só ele poderá recomendar uma solução.

 

referências bibliográficas
Lenzi A, Lombardo F, Jannini EA et al. J Endocrinol Invest 2003;26(3 Suppl):72-76.
Lotti F, Corona G, Jannini EA et al. J Sex Med 2012;9(10):2698-2707.

Alguns alimentos podem causar Ejaculação Prematura

MITO

Regra geral, não existem provas suficientes que comprovem que os alimentos exercem efeitos sobre a ejaculação. Todos os alimentos que têm um efeito estimulante podem causar ansiedade e potencialmente levar a uma ejaculação precoce. No entanto, não existem, até hoje, provas concretas que relacionem a alimentação com a Ejaculação Prematura.

 

 

A Ejaculação Prematura não é uma verdadeira doença

MITO

A Ejaculação Prematura é reconhecida como um problema médico pelas principais organizações de saúde, incluindo a Organização Mundial de Saúde, a International Society for Sexual Medicine, a European Society for Sexual Medicine, a European Association of Urology, a AUA American Urological Association e a American Psychiatric Association.

No entanto, a Ejaculação Prematura permanece uma disfunção pouco detetada e pouco tratada. É que muitos homens não procuram tratamento ou ajuda junto dos médicos, especialmente devido às barreiras causadas pelo estigma associado a esta disfunção.

 

referências bibliográficas
 1    Jannini EA, Porst H. J Sex Med 2011;8 Suppl 4:301-303.
 2    Jannini EA, Lenzi A. Curr Opin Urol. 2005;15(6):399-403.

Se quiser, um homem pode controlar a ejaculação; está tudo na cabeça

MITO

Alguns casos de Ejaculação Prematura Primária demonstram estar associados a uma perturbação do controlo serotoninérgico da ejaculação. Os homens com Ejaculação Prematura compararam a sua falta de controlo sobre a ejaculação com um espirro. O mesmo significa que sentem que vai acontecer, mas que não conseguem impedi-lo.
Os mecanismos envolvidos na mediação da ejaculação são muito complexos, sendo controlados por diversos neurotransmissores – como a serotonina, a dopamina e a norepinefrina – posicionados em diversas partes do organismo. Neste campo, a serotonina detém um papel preponderante.

 

referências bibliográficas
1    McMahon CG, Jannini E, Waldinger M, Rowland D. J Sex Med 2013;10(1):204-29.
2    Porst, H., et al. Eur Urol,2007;51(3): p. 816-23; discussion 824.