home / EJACULAÇÃO PREMATURA /

Perguntas e Respostas

Perguntas e Respostas

1
O que é a Ejaculação Prematura?

A Ejaculação Prematura, também conhecida por Ejaculação Precoce, é uma patologia complexa e a disfunção sexual mais frequente nos homens com idade inferior a 60 anos. Embora, de acordo com os dados do Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, Fourth Edition (DSM-IV), 1 em cada 5 homens sofra desta disfunção, a Ejaculação Prematura é ainda uma das perturbações masculinas menos diagnosticadas.

Pode ser uma doença crónica e manifestar-se, desde logo, aquando da primeira experiência sexualual (Ejaculação Prematura Primária), ou aparecer mais tarde, como consequência de uma outra patologia (Ejaculação Prematura Secundária).

A International Society for Sexual Medicine (ISSM) define a Ejaculação Prematura Primária como “uma disfunção sexual masculina caracterizada por:

  • Ejaculação que ocorre sempre, ou quase sempre, antes de ou até um minuto após ter-se iniciado a penetração vaginal;
  • Incapacidade para retardar a ejaculação em todas, ou quase todas, as penetrações vaginais;
  • Consequências pessoais negativas, como sofrimento, frustração e/ou evasão da intimidade sexual”.
 
Referências bibliográficas:
Althof SE et al. J Sex Med. 2010;7(9):2947-2969.
American Psychiatric Association. Diagnostic and statistical manual of mental disorders. 4th edition. Text revision: DSMIV-TR. Washington, DC: American Psychiatric Association; 2000.
Broderick GA. J Sex Med 2006;3(4):295-302.
EAU Guidelines on ED and PE 2012.
McMahon CG et al. J Sex Med 2008;5:1590–1606.
Porst H et al. Eur Urol 2007;51(3):816-824.

2
Que intervalo de tempo, desde a penetração até à ejaculação, é considerado normal?

O tempo considerado “normal” varia, em função de muitos fatores, podendo ser diferente de pessoa para pessoa (ou de casal para casal). Em inquéritos realizados à população masculina em geral (incluindo homens com e sem Ejaculação Prematura) para estudar os valores médios do tempo até à ejaculação após penetração vaginal, os homens sem Ejaculação Prematura referiram um valor médio de cerca de 7 minutos, podendo mesmo chegar aos 20-25 minutos.

Segundo a International Society for Sexual Medicine (ISSM), a ejaculação ocorre sempre, ou quase sempre – no caso dos homens com Ejaculação Prematura – “antes de ou até 1 minuto após penetração vaginal”. No entanto, é importante sublinhar que a Ejaculação Prematura não é apenas uma questão de tempo: a falta de controlo sobre a ejaculação e o impacto negativo no relacionamento com a parceira constituem, igualmente, fatores valorizados na altura de se definir a Ejaculação Prematura.

 

Referências bibliográficas
Althof SE et al. J Sex Med. 2010;7(9):2947-2969.
Broderick GA. J Sex Med 2006;3(4):295-302.
EAU Guidelines on ED and PE 2012.
McMahon CG et al. J Sex Med 2008;5:1590–1606.
Porst H et al. Eur Urol 2007;51(3):816-824.

3
Ejacular depressa demais é uma disfunção rara?

Uma proporção significativa da população masculina em todo o mundo refere sintomas ou queixas de Ejaculação Prematura: cerca de 20% a 30% dos homens revelam ter a perceção de que a sua ejaculação ocorre demasiado rápido. Todavia, apenas 9% procuram realmente a ajuda de um médico.

 

Referências bibliográficas
American Psychiatric Association. Diagnostic and statistical manual of mental disorders. 4th edition. Text revision: DSMIV-TR. Washington, DC: American Psychiatric Association; 2000.
EAU Guidelines on ED and PE 2012.
McMahon CG et al. J Sex Med 2008;5:1590–1606.
Porst H et al. Eur Urol 2007;51(3):816-824.

4
Se a minha ejaculação ocorre depressa demais todas (ou quase todas) as vezes em que tenho relações sexuais, pode ser Ejaculação Prematura?

Quando a ejaculação ocorre depressa demais e o problema se revela persistente ou crónico (i.e. quando tem início desde a primeira, ou quase desde a primeira, experiência sexual), então trata-se, muito provavelmente, de Ejaculação Prematura.

Porém, o tempo demasiado curto até à ejaculação não representa o único critério que permite traçar um diagnóstico de Ejaculação Prematura. Também a falta de controlo ejaculatório e o impacto emocional negativo da disfunção na vida sexual do homem constituem fatores necessariamente presentes. De qualquer forma, apenas um médico poderá diagnosticar Ejaculação Prematura.

 

Referências bibliográficas
EAU Guidelines on ED and PE 2012.
McMahon CG et al. J Sex Med 2008;5:1590–1606.
Porst H et al. Eur Urol 2007;51(3):816-824.
Diagnóstico da Ejaculação Prematura

5
A Ejaculação Prematura é uma espécie de Disfunção Erétil?

A Ejaculação Prematura é, muitas vezes, confundida com a Disfunção Erétil. No entanto, uma e outra são completamente distintas.

Vejamos as diferenças: na Ejaculação Prematura, a ereção é normal, mas a ejaculação ocorre antes ou cerca de 1-2 minutos após penetração vaginal.

Esta é, ainda, caracterizada pela incapacidade de controlar ou retardar a ejaculação e é mesmo mais frequente do que a Disfunção Erétil, manifestando-se a partir da primeira experiência sexual em cerca de 50% dos casos e em todos os grupos etários adultos. Por seu lado, a DE, mais frequente nos idosos, consiste numa incapacidade constante de alcançar e manter uma ereção suficiente que permita um desempenho sexual satisfatório. A mesma não se encontra, por isso, relacionada com o controlo.

Apesar de manifestamente distintas, Ejaculação Prematura e Disfunção Erétil podem ocorrer em simultâneo. A experiência clínica, bem como vários estudos clínicos realizados, demonstram ser frequente homens com Ejaculação Prematura secundária apresentarem Disfunção Erétil associada.

Após a ejaculação, o processo normal é o da detumescência peniana. Contudo, os homens com Ejaculação Prematura – que ejaculam depressa demais e que sofrem de falta de controlo sobre a ejaculação – podem associar a detumescência dita “normal” com sintomas de Disfunção Erétil. A ansiedade quanto à performance sexual desempenha, igualmente, um papel fundamental para os homens que sofrem de ambas as disfunções – Ejaculação Prematura e Disfunção Erétil – podendo agravar os dois sintomas com o decorrer do tempo. Em todo o caso, deve sempre consultar um médico para um diagnóstico correto.

 

Referências bibliográficas
EAU Guidelines 2012.
Jannini EA, Lombardo F, Lenzi A. Int J Androl. 2005 Dec;28 Suppl 2:40-45.
Porst H et al. Eur Urol 2007;51(3):816-824.
Sotomayor M. J Sex Med 2005;2(2):110-114.
 

6
Como posso saber se é Ejaculação Prematura?

A Ejaculação Prematura não é apenas um problema de “duração”, implica também uma “falta de controlo” sobre a ejaculação e “um grau de satisfação baixo com as relações sexuais”. No entanto, a Ejaculação Prematura apenas pode ser diagnosticada por um médico, com poder para prescrever exames e testes destinados a eliminar possíveis causas orgânicas do problema.

Referências bibliográficas:

EAU Guidelines on ED and PE 2012.
McMahon CG et al. J Sex Med 2008;5:1590–1606.
Porst H et al. Eur Urol 2007;51(3):816-824.
Diagnóstico da Ejaculação Prematura

7
Existem diferentes tipos de Ejaculação Prematura?

Sim, existe um consenso geral entre os médicos: do ponto de vista etiológico, a Ejaculação Prematura divide-se entre Primária e Secundária.

A Ejaculação Prematura Primária, também denominada de Ejaculação Prematura Inata, manifesta-se desde a primeira, ou quase desde a primeira, experiência sexual, e continua a manifestar-se ao longo da vida.

A Ejaculação Prematura pode também manifestar-se mais tarde, tratando-se, neste caso, de Ejaculação Prematura Secundária (ou Adquirida). Nestas situações, é provável que a Ejaculação Prematura seja resultado de outra(s) patologia(s).
Cerca de 65% dos homens que têm Ejaculação Prematura sofrem do tipo Primária. Esta é uma doença crónica caracterizada pelo seguinte:

Início desde a primeira, ou quase desde a primeira, experiência sexual;
Persistência ao longo da vida e, possivelmente, agravamento com a idade;
A ejaculação ocorre depressa demais (menos de 1 minuto em 90% dos casos);
A ejaculação ocorre depressa demais em todos, ou quase todos, os episódios de relações sexuais;
A ejaculação ocorre depressa demais com todas, ou quase todas, as parceiras.
Alguns homens ejaculam mesmo durante a fase de preliminares, isto é, antes da penetração ou no primeiro contacto com a vagina (a denominada ejaculatio ante portas). 49% dos homens com Ejaculação Prematura afirmam que ejaculam antes da penetração, pelo menos ocasionalmente.

A Ejaculação Prematura Secundária:

Manifesta-se num dado momento da vida, com um início gradual ou repentino, após uma fase anterior de ejaculação normal;
Pode estar relacionada com outras doenças endócrinas (como perturbações da hormona da tiroide ou doenças urológicas, por exemplo prostatite inflamatória), perturbações anatómicas (como freio curto, hipersensibilidade da glande, fimose, etc.), problemas neurológicos, psicológicos ou relacionais, experiências sexuais traumáticas ou com efeitos secundários de medicação ou ingestão de drogas usadas para fins recreativos;
Ocorre com apenas uma ou com parceiras específicas (a denominada Ejaculação Prematura Situacional).
Referências bibliográficas:

EAU Guidelines on ED and PE 2012.
O que significa Ejaculação Prematura?

8
A Ejaculação Prematura está relacionada com a idade?

Ao contrário da Disfunção Eréctil, que se revela mais prevalente nos idosos, a Ejaculação Prematura afeta todos os grupos etários. Pode ocorrer desde a primeira, ou quase desde a primeira, relação sexual ou desenvolver-se numa fase posterior da vida, embora seja mais frequente nos homens mais novos. A ocorrência de Ejaculação Prematura está mais relacionada com a novidade da experiência sexual (nova parceira ou situação diferente) do que com a idade do homem.

Referências bibliográficas:

EAU Guidelines on ED and PE 2012.

9
O que causa Ejaculação Prematura?

A Ejaculação Prematura é uma condição médica. Calcula-se que a Ejaculação Prematura Crónica ou Primária esteja associada a baixos níveis de serotonina, um neurotransmissor que desempenha um papel crucial na ejaculação. Nesta ótica, todas as conclusões apontam para um envolvimento genético, no caso da Ejaculação Prematura Primária.

Muitas outras disfunções e doenças, tais como a prostatite, perturbações do trato urinário ou doenças endócrinas, podem ter um impacto negativo sobre a ejaculação, causando Ejaculação Prematura Secundária, a qual pode ser também um efeito secundário de medicamentos ou do consumo de drogas para fins recreativos, ou mesmo uma manifestação de problemas sociais, psicológicos ou interpessoais.

Referências bibliográficas:

EAU Guidelines on ED and PE 2012.

O que significa Ejaculação Prematura?

10
A prostatite pode causar Ejaculação Prematura?

Sim, a prostatite pode ser um importante fator de risco. Considerando o papel da glândula prostática no mecanismo da ejaculação, a inflamação da próstata pode causar Ejaculação Prematura do tipo Secundária. Tratar a prostatite, com antibióticos, por exemplo, pode restaurar o padrão ejaculatório normal do doente. No caso de não se proceder ao tratamento da prostatite, esta poderá, a longo prazo, determinar um agravamento e assim afetar a função ejaculatória.

É por isso que, se suspeita de sofrer de Ejaculação Prematura, deve consultar um médico, um urologista, por exemplo, para identificar a(s) causa(s) e, desta forma, poder ser tratado.

Referências bibliográficas:

El-Nashaar A, Shamloul R. J Sex Med. 2007;4(2):491-496.
Screponi E, Carosa E, Di Stasi SM et al. Urology. 2001;58(2):198-202.
O que significa Ejaculação Prematura?

11
É possível que o freio curto seja a causa da minha Ejaculação Prematura?

É possível. A pequena dimensão do freio – banda elástica de tecido sob o pénis, que ajuda a contrair o prepúcio sobre a glande – pode contribuir para a manifestação de Ejaculação Prematura.

Um freio muito curto restringe os movimentos do prepúcio durante a ereção, causando uma estimulação sexual excessiva. De facto, mais de 40% dos homens com Ejaculação Prematura Primária têm um freio curto. Os que têm Ejaculação Prematura e também um freio curto devem, deste modo, contactar o médico, que pode considerar a possibilidade de uma frenotomia (remoção cirúrgica do freio).

Referências bibliográficas:

Gallo L, Perdonà S, Gallo A. J Sex Med. 2010;7(3):126976.

12
A varicocele causa Ejaculação Prematura?

Foi demonstrada uma possível relação entre varicocele, prostatite e perturbações ejaculatórias e a Ejaculação Prematura. No caso de varicocele, é também importante consultar um médico, uma vez que esta pode afetar a fertilidade.

Referências bibliográficas:

Lotti F, et al. J Sex Med. 2009 Oct;6(10):2878-2887

13
Posso ter simultaneamente Ejaculação Prematura e Disfunção Erétil?

Apesar de a Ejaculação Prematura e a Disfunção Erétil serem disfunções sexuais muito diferentes, podem ocorrer em conjunto, mesmo que a primeira não se encontre necessariamente associada a uma deficiência de ereção.

Uma proporção significativa de homens com Ejaculação Prematura refere também Disfunção Erétil (31,9%), particularmente nos casos em que a Ejaculação Prematura surge com a idade (atente-se no facto de a incidência da Disfunção Erétil aumentar com a idade).

Em homens com Disfunção Erétil, que necessitam de estimulação peniana constante para manter uma ereção penetrável, a incidência de Ejaculação Prematura tende a ser elevada, provavelmente devido ao receio de não se conseguir manter uma ereção satisfatória. Tal receio poderá levar a que estes homens “despachem” a relação sexual. Por outro lado, alguns homens sugerem que a Ejaculação Prematura pode conduzir ao desenvolvimento de Disfunção Erétil, durante um determinado período de tempo.

Referências bibliográficas:

Jannini EA, Lombardo F, Lenzi A. Int J Androl. 2005 Dec;28 Suppl 2:40-45.

Sobre a Ejaculação Prematura e a Disfunção Erétil

14
Pode também ocorrer Ejaculação Prematura numa relação homossexual?

A Ejaculação Prematura é uma disfunção sexual masculina, que nada tem a ver com a orientação sexual. De facto, como alguma evidência sugere, a orientação sexual não altera significativamente o padrão clínico da disfunção ejaculatória, e a Ejaculação Prematura é tão frequente em homens homossexuais como em heterossexuais.

O tempo de latência ejaculatória é medido com base no tempo até à ejaculação intravaginal (IELT) – resultando na exclusão de atividades sexuais homossexuais dos protocolos experimentais – e os estudos sobre Ejaculação Prematura foram realizados apenas em casais heterossexuais.

Referências bibliográficas:

Jern P, Santtila P, Johansson A et al. J Sex Marital Ther. 2010;36(4):303-312.

15
A Ejaculação Prematura afeta o relacionamento com o meu parceiro?

A saúde e a satisfação sexual são extremamente importantes para o bem-estar de uma pessoa, para a sua qualidade de vida e também para o bom relacionamento com o seu parceiro. A Organização Mundial de Saúde (OMS) afirma que “uma vida sexual satisfatória, segura e agradável” é um aspeto central da existência humana.

Existem muitos aspetos relacionados com a Ejaculação Prematura que podem ter efeitos negativos no casal. A preocupação do homem, física e psicológica, associada à diminuição da satisfação sexual da parceira pode causar problemas graves na vida sexual e emocional do casal. Tanto para o homem com Ejaculação Prematura como para a respetiva parceira, a falta de controlo conduz à insatisfação e à sensação de que algo essencial está em falta na relação e produz uma alteração ao nível da sensação de intimidade. Por outras palavras, a Ejaculação Prematura leva a um desequilíbrio na relação do casal, gerando incompreensão e mal-estar.

A Ejaculação Prematura afeta o casal de várias formas. Existem, sobretudo, dois tipos de consequências: efeitos na satisfação sexual e efeitos psicológicos.

Do ponto de vista sexual, 25% dos inquiridos assinalou uma satisfação sexual baixa ou muito baixa. Mais, 52% das parceiras de homens com Ejaculação Prematura afirmou não atingir o orgasmo – face a 21% no grupo controlo – e 75% relatou problemas de excitação – face a apenas 20% no grupo controlo. Num estudo observacional europeu sobre Ejaculação Prematura, apenas 53% das parceiras sexuais de homens com Ejaculação Prematura disse atingir aproximadamente um orgasmo regular durante o coito. Já no que respeita às parceiras de homens sem Ejaculação Prematura, 84% declarou ter efetivamente alcançado o orgasmo.

De ponto de vista psicológico, as parceiras de doentes com Ejaculação Prematura referem sentir-se “desconfortáveis” com o seu parceiro: 50% refere sofrimento e 32% dificuldades interpessoais.

É por isso que a Ejaculação Prematura é um problema que o casal deve abordar em conjunto. Estudos demonstraram que os casais que comunicam aberta e honestamente sobre a disfunção sexual masculina têm mais probabilidades de lidar com o assunto de forma eficaz. A parceira desempenha um papel fundamental ao apoiar o homem com Ejaculação Prematura, que precisa de perceber que o problema pode ser resolvido se forem juntos ao médico.

referências bibliográficas:

UN. The Right to Reproductive and Sexual Health. http://www.un.org/ecosocdev/geninfo/women/womrepro.htm
Graziottin A. “Sessualità e fisiopatologia sessuale” in: Zanoio L, Barcellona E, Zacché G. (a cura di), Ginecologia e Ostetricia; Elsevier Masson, Milano 2007; pp:165-196
Graziottin A. Althof S. The Journal of Sexual Medicine 2011; 8 Suppl 4: 304-309.

Sobre frustração pessoal e relacionamento entre os parceiros

16
O que pode acontecer à minha relação, se eu nada fizer relativamente ao problema da Ejaculação Prematura?

O desconforto (físico e psicológico) de um homem, associado à baixa satisfação sexual da parceira, é passível de afetar gravemente tanto a vida sexual como emocional do casal. Neste âmbito, os homens com Ejaculação Prematura e as suas parceiras podem sentir:

  • Função sexual alterada;
  • Menor satisfação durante as relações sexuais;
  • Diminuição da qualidade de vida;
  • Aumento dos níveis de sofrimento;
  • Mais dificuldades interpessoais.
Referências bibliográficas:

McCarty EJ. Core Evidence 2012;7:1-14.
McMahon CG et al. J Sex Med 2011;8:524-539.

Ver mais sobre frustração pessoal e relação entre os parceiros

17
A Ejaculação Prematura pode ter impacto na fertilidade do casal?

Num casal sem problemas de fertilidade, um homem com Ejaculação Prematura ainda é capaz de fertilizar, desde que a ejaculação, mesmo que precoce, ocorra durante a penetração e não antes de o pénis estar inserido na vagina (ejaculatio ante portas). Em último caso, é sempre aconselhável consultar um médico, uma vez que só ele poderá recomendar uma solução.

18
Pode tratar-se a Ejaculação Prematura?

A Ejaculação Prematura, tanto Crónica/Primária, como Adquirida/Secundária, é uma doença. Quando adquirida, a Ejaculação Prematura pode ser curada. Se o seu médico descobrir que a sua Ejaculação Prematura é realmente causada por outra doença, como, por exemplo, uma prostatite, a terapêutica com antibióticos irá resolver a inflamação com efeito positivo também na Ejaculação Prematura.

Na forma Primária de Ejaculação Prematura existem diversas opções que o médico pode prescrever. Deste modo, é necessário um médico para decidir qual o tratamento indicado para o seu caso.

Se suspeita que sofre de Ejaculação Prematura, deve perceber, antes de mais, que a Ejaculação Prematura é uma disfunção frequente, que precisa de tratamento e pode ser tratada. Evite tratá-la sozinho, uma vez que poderá ser ineficaz e perigoso. Consulte um médico, de forma a obter o diagnóstico correto e o tratamento mais adequado ao seu quadro clínico. Existem soluções seguras e eficazes disponíveis.

19
Os medicamentos para o tratamento da Ejaculação Prematura podem ser perigosos?

A Ejaculação Prematura é uma doença que pode ser tratada. Foi inicialmente considerada um problema psicológico e, por isso, foi, durante décadas, tratada através de terapias comportamentais e cognitivas. Subsequentemente, surgiram tratamentos farmacológicos, como medicamentos sujeitos a receita médica e preparações para aplicação tópica.

Em qualquer caso, consultar um médico é a única forma segura para um diagnóstico correto e tratamento adequado. Apenas um médico poderá identificar as causas (se é Ejaculação Prematura Primária ou Secundária) e as terapias mais adequadas para cada caso. Só um médico poderá prescrever os tratamentos farmacológicos disponíveis.

O verdadeiro perigo é a automedicação. Se o seu médico prescreveu um tratamento farmacológico, como um medicamento, então é importante ter a certeza de que o produto que comprou é genuíno e não contrafeito. É fundamental tomar medicamentos genuínos, em primeiro lugar pela sua saúde e bem-estar e, em segundo lugar, pela sua segurança, pois, como se sabe, os medicamentos falsificados contêm, não raras vezes, substâncias nocivas.

Compre sempre os produtos prescritos pelo médico numa farmácia de confiança ou mesmo numa farmácia online devidamente autorizada e certificada. Consulte o site do Infarmed que tem a lista de farmácias autorizadas a dispensar medicamentos através da internet, e evite, assim, comprar em sítios da internet que não disponibilizem o número de registo da farmácia, endereço físico e número de telefone (as farmácias ilegais não dispõem desta informação).

20
Posso melhorar o controlo sobre a ejaculação, recorrendo a técnicas respiratórias?

Inicialmente entendida como um problema psicológico, a Ejaculação Prematura foi, durante décadas, tratada através de terapias comportamentais e cognitivas. Entre estas, as denominadas técnicas de controlo respiratório pareciam ter efeitos calmantes e funcionar verdadeiramente na atenuação da Ejaculação Prematura. Contudo, a experiência clínica e diversos estudos científicos recentemente elaborados sugerem que, habitualmente, as melhorias conseguidas através deste método não se mantêm no longo prazo. O mesmo deve-se ao facto de a Ejaculação Prematura ser uma disfunção causada por inúmeros fatores, passíveis de estar associados a problemas psicológicos e físicos. Só um médico pode traçar um diagnóstico preciso e encontrar a solução mais apropriada. Além disso, se estiver totalmente concentrado na respiração e não na sua parceira, o que fica da relação e da sua própria satisfação?

Referências bibliográficas:

Revicki V et al. Health and Quality of Life Outcomes 2008;6:33.

21
A masturbação antes do sexo pode ser útil no tratamento da Ejaculação Prematura?

Embora parcialmente eficaz no curto prazo, a masturbação antes das relações sexuais pode exacerbar a Ejaculação Prematura, em vez de atenuá-la. Tal acontece, uma vez que existe uma intenção de deliberadamente ignorar ou anular as sensações sexuais que precisam de ser controladas, de forma a melhorar a disfunção. Adicionalmente, uma má prática de masturbação – isto é, uma corrida sem parar até ao clímax – pode impedir, mais ainda, o desenvolvimento de mecanismos de controlo da ejaculação.

A masturbação antes das relações sexuais é uma autotécnica comportamental muito usual no seio dos homens mais novos. As razões que, em teoria, sustentam este método encontram-se relacionadas com o facto de a sua prática poder aumentar parcialmente o controlo ejaculatório do homem, levando-o a aprender a reconhecer os sinais de aumento da sua excitação sexual. Desta forma, o homem será supostamente capaz de manter o nível da sua excitação sexual abaixo da intensidade que desencadeia o reflexo ejaculatório. Paralelamente, o pénis fica dessensibilizado, dando origem a um maior atraso na ejaculação, após o período de recuperação.

No entanto, a eficácia de técnicas de autoajuda comportamental não é sustentada por investigações controladas; e a experiência clínica sugere que qualquer melhoria conseguida com estas técnicas geralmente não se mantém no longo prazo.

Referências bibliográficas

EAU Guidelines on ED and PE 2012.
Revicki V et al. Health and Quality of Life Outcomes 2008;6:33.

22
Porque tenho de ir ao médico para encontrar uma solução para a minha Ejaculação Prematura? Não é suficiente falar com a minha parceira sobre o assunto?

Em caso de Ejaculação Prematura, falar com a sua parceira é realmente muito importante. A insatisfação sexual pode causar sentimentos de frustração, raiva e desânimo e provocar um impacto negativo na intimidade e harmonia de um casal. Sem uma conversa sincera, as duas partes podem desenvolver um sentimento de inadequação, capaz de afetar o seu bem-estar sexual e mesmo a sua estabilidade.

A Ejaculação Prematura é, por isso, um problema que o casal deve procurar solucionar em conjunto. O diálogo mútuo une o casal e representa uma das "armas" mais eficazes para chegar a uma solução. Aqui, o papel da parceira revela-se essencial, podendo facilitar a tomada de consciência do problema por parte do homem e também o processo de procura de ajuda. É muitas vezes graças à parceira, ao seu apoio e à sua compreensão, que o homem vai ao médico; e ir ao médico é a única forma de diagnosticar adequadamente o problema, encontrar a causa e, se necessário, tratá-la.

23
Por que razão tenho de ir ao médico, se quero encontrar uma solução para a minha Ejaculação Prematura? Não chega tentar encontrar uma solução na internet?

Obter informação sobre uma doença é muito importante. Para isso, devemos selecionar uma fonte segura e de confiança. Os sítios da internet de associações científicas ou outras entidades por estas apoiadas podem proporcionar informação útil e de confiança. De qualquer modo, a ida ao médico continua a ser insubstituível.

A informação disponível na internet nem sempre apresenta uma base científica, podendo, assim, ter um efeito confuso no leitor e gerar mitos sem fundamento.

A Ejaculação Prematura é uma disfunção que pode ser tratada, mas a automedicação representa um verdadeiro perigo, não só pelo possível erro de diagnóstico, como também pelo risco de se proceder ao tratamento errado. Só um médico pode identificar as causas (se é Ejaculação Prematura Primária ou Secundária) e prescrever o tratamento mais adequado para si. Deve igualmente ter em conta que muitos dos tratamentos disponíveis recaem sobre medicamentos sujeitos a receita médica, sendo, por isso, verdadeiramente importante ter atenção a sítios da internet que vendam estes tratamentos sem necessidade de apresentá-la. Nestes casos, o mais provável é estar perante farmácias online ilegais, que procedem à venda de medicamentos contrafeitos.

É fundamental tomar medicamentos genuínos, em primeiro lugar pela sua saúde e bem-estar e, em segundo lugar, pela sua segurança, pois os medicamentos falsificados contêm substâncias nocivas. Compre sempre os produtos prescritos pelo médico numa farmácia de confiança, ou mesmo numa farmácia online devidamente autorizada e certificada. Consulte o site do Infarmed, que tem a lista de farmácias autorizadas a dispensar medicamentos através da internet, e evite assim comprar em sítios da internet que não disponibilizem o número de registo da farmácia, endereço físico e número de telefone (as farmácias ilegais não dispõem desta informação).

24
Quem devo contactar, se pretendo encontrar uma solução para a minha Ejaculação Prematura?

Se acha que tem Ejaculação Prematura, então a única pessoa que pode realmente ajudá-lo é um médico.

Apesar de a Ejaculação Prematura prefigurar um assunto delicado de abordar, falar abertamente com um médico representa a única forma, e a mais correta, de ultrapassar o problema. Apenas um médico pode identificar as causas (se é Ejaculação Prematura primária ou secundária) e apresentar-lhe o tratamento mais adequado. Só ele poderá prescrever tratamentos farmacológicos, se necessário. Ultrapasse tabus e vergonhas. Envolva a sua parceira: vão ao médico e encontrem uma solução em conjunto.

Existem também algumas ferramentas que podem ajudá-lo a conseguir uma avaliação mais objetiva da Ejaculação Prematura, como, por exemplo, o teste PEDT. Mas atenção! Apesar de ser um excelente ponto de partida para uma conversa com o médico, o teste PEDT não substitui o diagnóstico do profissional de saúde.

25
Tenho vergonha de falar com o médico sobre a minha Ejaculação Prematura. O que posso fazer?

Falar de problemas sexuais, especialmente de Ejaculação Prematura, pode revelar-se uma tarefa árdua e complexa. Sendo este um tema sensível, o mesmo desencadeia habitualmente sentimentos de vergonha e ansiedade no doente. É, assim, perfeitamente compreensível que este se sinta desconfortável ao abordar o assunto.

De salientar, que a maioria dos homens com Ejaculação Prematura é sensível ao estigma de “ejaculador prematuro”. Importante será também referir que uma grande parte destes sente vergonha só de pensar que terá de falar do seu problema com uma figura relativamente estranha, como é a do médico. Assim se explicam as razões que levam a maioria dos homens que sofrem de Ejaculação Prematura a não procurar ajuda junto de um médico e de mais de metade nunca ter sequer colocado esta hipótese.

Ultrapasse qualquer embaraço e fale com o seu médico. Esta é a única forma de conseguir um diagnóstico correto e rigoroso e um tratamento eficaz, melhorando a qualidade do seu relacionamento sexual.

Existem também algumas ferramentas que podem ajudá-lo a conseguir uma avaliação mais objetiva da Ejaculação Prematura, como, por exemplo, o teste PEDT. Mas atenção! Apesar de ser um excelente ponto de partida para uma conversa com o médico, o teste PEDT não substitui o diagnóstico do profissional de saúe. Fazer o teste PEDT

Só um médico poderá identificar as causas (se é Ejaculação Prematura primária ou secundária) e as terapêuticas mais apropriadas ao seu caso; e só um médico poderá prescrever os tratamentos farmacológicos disponíveis.

Sublinhe-se que a automedicação se afigura geralmente ineficaz ou, até mesmo, perigosa. Sendo algo que comporta sérios e elevados riscos para a saúde, a mesma deve ser evitada a todo o custo. Procure evitar medicamentos vendidos na internet, designadamente de comerciantes não autorizados. Muitos dos tratamentos disponíveis estão sujeitos a receita médica. Desconfie sempre de sítios na internet que os vendam sem solicitação da respetiva receita, uma vez que poderão tratar-se de farmácias ilegais online, que comercializam medicamentos contrafeitos e nefastos para a sua saúde.

Nesta medida, é importante que tome medicamentos genuínos. Deve tomar sempre medicamentos prescritos por um médico e comprados numa farmácia de confiança, devidamente autorizada e certificada. Consulte o site do Infarmed, que tem a lista de farmácias autorizadas a dispensar medicamentos através da internet, e evite assim comprar em sítios da internet que não disponibilizem o número de registo da farmácia, endereço físico e número de telefone (as farmácias ilegais não dispõem desta informação).

Referências bibliográficas:

Revicki V et al. Health and Quality of Life Outcomes 2008;6:33.
Porst H, Montorsi F, Rosen RC et al. Eur Urol 2007;51:816–824.

26
A minha parceira pode ajudar-me/posso ajudar a minha parceira? Como?

A Ejaculação Prematura é um problema que o casal deve procurar resolver em conjunto. O diálogo mútuo une o casal e representa uma das “armas” mais eficazes na procura de uma solução. Aqui, o papel da parceira revela-se essencial, uma vez que facilita a tomada de consciência do problema por parte do homem e promove a procura de ajuda. De facto, é muitas vezes graças à parceira que os homens procuram um médico, um procedimento fulcral e a única forma de diagnosticar o problema com precisão, apurar a causa subjacente e recomendar, se necessário, a terapêutica eficaz para o tratar.

Embora alguns homens desejem esconder a sua disfunção, estudos demonstraram que os casais que comunicam aberta e honestamente sobre a disfunção sexual masculina têm mais probabilidades de lidar eficazmente com o assunto. Uma maioria de homens com Ejaculação Prematura (mais de 60%) afirmaram que procuraria tratamento para a sua disfunção sexual, caso a sua parceira o sugerisse, e quase 75% admitiram ter procurado tratamento, com base no desejo de aumentar a satisfação sexual da respetiva parceria.

Em caso de Ejaculação Prematura, falar com a sua parceira é realmente muito importante. A insatisfação sexual pode causar sentimentos de frustração, raiva e desânimo e provocar um impacto negativo na intimidade e harmonia de um casal. Sem uma conversa sincera, as duas partes podem desenvolver um sentimento de inadequação, capaz de afetar o seu bem-estar sexual e mesmo a sua estabilidade.

Referências bibliográficas:

Porst H, Montorsi F, Rosen RC et al. Eur Urol 2007;51:816–824.

Falar com o seu parceiro