home / Sexualidade / Vox Pop /

Início da Vida Sexual

 

Os jovens iniciam a vida sexual demasiado cedo?

 

 

Em 2010, uma investigação pioneira em Portugal, levada a cabo pela psicóloga clínica Patrícia Gouveia, revelou que, em média, os rapazes portugueses têm a primeira experiência sexual aos 15 anos e as raparigas aos 16. Eles são mais motivados por questões físicas, elas procuram em regra ligações emocionais. Num mundo em constante mudança, com a Internet e tantos outros fatores a “apelarem” a novos comportamentos e atitudes, será que a tendência se mantém? Ou será que os jovens lusos se aproximam de outros padrões ocidentais, nomeadamente de países como os Estados Unidos e o Reino Unido (este último com a maior taxa de gravidez na adolescência da Europa)?


FOMOS SABER O QUE PENSAM PORTUGUESES DE "TODAS" AS IDADES.

Maria, 65 anos

"A educação sexual deve fazer parte da educação integral"

“Penso que sim, tal como considero que a educação sexual deve fazer parte da educação integral das crianças. Talvez assim se consiga diminuir a taxa de gravidez na adolescência.”

Alexandre, 41 anos

"Hoje as raparigas não têm dificuldade em dar o primeiro passo"

“Creio que os jovens, logo no início da adolescência, tendem a querer experimentar os prazeres da relação sexual. Se, anteriormente, essa vontade era maioritariamente demonstrada pelos jovens do sexo masculino, hoje o panorama modificou-se e as raparigas não têm mais dificuldade em “dar o primeiro passo’’. Nesse sentido, o início da vida sexual ocorre mais cedo, o que pode trazer problemas devido à imaturidade e falta de experiência. No entanto, creio também que há maior informação acessível aos jovens, o que os torna melhor preparados em relação às gerações anteriores.”

Margarida, 21 anos

“A quantidade de notícias contribui para a decisão”

“Na minha opinião, hoje em dia a maior parte dos jovens inicia a vida sexual demasiado cedo devido a vários fatores. Um deles devido ao que veem na televisão; cada vez há mais vídeos de teor sexual e cada vez há mais programas com esse tema, o que leva a terem uma curiosidade e vontade de experimentarem mais cedo do que anteriormente. A quantidade de notícias, vídeos, músicas relacionadas com sexo e também a liberdade que hoje em dia há sobre o assunto, que ficou cada vez menos tabu, contribui para a decisão de iniciarem essa experiência mais cedo.”